sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Inundo de sol a minha pele
Com a certeza do caminho a percorrer
E ergo bem alto o meu olhar
Como quem já não tem nada a temer

Fui eu que escolhi este caminho
De cravos e de esporas derrotadas
Se o percorrer, ainda que aos tropeços
Manterei as minhas mãos imaculadas

Não importa a dor, a solidão
Não importa se mais tarde vou chorar
É este o momento, é esta a hora
De fazer o que é preciso, de mudar



Natércia Anjos

Em "O Sabor das Palavras", nº5
e "Alma(da) Nossa Terra",
antologia de poetas almadenses,
organizada por Ermelinda Toscano,
Edição SCALA. Almada, Março 2006)

5 comentários:

Anónimo disse...

Prezado Vitorino,
obrigado pela indicação do meu blog. Estou muito honrado com a referência. Adicionei o seu nos favoritos e repassei aos amigos. Abraço e saudações poéticas.
Sidnei (Zoopoesia).

Debaixo do Bulcão disse...

Um dos critérios que me levam a referir aqui outros blogs é o da originalidade. O seu, Zoo Poesia), obedece a esse e ao critério da qualidade (embora ambos, e em particular este último, sejam muito subjectivos, eu sei).

Debaixo do Bulcão disse...

Explicando melhor (espero eu): o que me chamou a atenção para o Zoo Poesia (e para o Se Eu Flor de Morango) foi, em primeiro lugar, os nomes desses blogs (quando eu andei a pesquisar poesia na net, entenda-se). Claro que isso não chega. Depois foi preciso lê-los e ver que são mesmo bons. Na minha opinião, claro...

natércia disse...

Qual não foi a minha surpresa quando me encontrei aqui. devo agradecer. Não só a transcrição do meu texto mas a partilha dos outros.

Debaixo do Bulcão disse...

Não é preciso agradecer. Este blog serve para isso mesmo! Aliás, se me quiser enviar outros poemas, eu publico-os, com muito gosto!

António Vitorino