terça-feira, janeiro 20, 2009





Mil léguas de distância percorreste
em mil espelhos enfrentaste a imagem
de que fugias, mas que em tua alma vias,

mil cores que te abraçavam,
que em mil danças te lançavam
contra mil lobos lutavas,
mil vidas tu tiravas.

Sobre mil mares navegaste
em mil mundos procuraste
as mil faces que tu vestiste
sobre a face que não viste.

Em mil sonhos que não sonhaste
foi-se a vida que perdeste.




António Boieiro

Debaixo do Bulcão poezine
Número 1,5 - Almada, Janeiro 1997

1 comentário:

Paulo Sempre disse...

Interessante!!