quinta-feira, abril 09, 2009

Sobrevivência



Dá-me a tua mão e vem
não tenhas medo
porque eu levo-te ao bem,
levo-te p'ro caminho da esperança
não é aquilo que não tens.
Dou-te coragem p'ra lutar
contra os teus rivais,
o calor dos meus beijos
a fortaleza dos meus braços
e outras coisas mais.

Não vivas na ignorância
que essa vida te quer dar
não deixes que o desânimo
se apodere de ti,
dá-me a tua mão e vem:
não tenhas medo de mim.

Não queiras morrer à míngua
nem que o teu corpo apodreça
no vácuo do Ser.
Levanta-te, segue o meu caminho
e verás que mais tarde
hás-de vencer.


Poema de Artur Vaz
ilustração de Henry Mourato

(publicado pela primeira vez em Jornal de Almada,
16 de Maio de 1970)

Debaixo do Bulcão poezine
Número 35 - Almada, Março 2009

3 comentários:

Guitta disse...

Thanks for the post!

Já conhece alguma coisa minha visto que fez um post com um poema visual feito por mim... Encontra-se na entrada de "Terça-feira, Outubro 21, 2008".

Sou a menina do pêndulo...

Cumprimentos

Debaixo do Bulcão disse...

Olá!

Lembro-me, sim, desse poema visual. Num artigo sobre as publicações de poesia da editora Palimage. E hei-de referir-me mais vezes a essas publicações...

AV

Debaixo do Bulcão disse...

No comentário de cima, AV era António Vitorino. Não confundir com o meu velho camarada e redacção e colga de lides literárias Artur Vaz...